domingo, 3 de junho de 2012

ABRAÇO

ABRAÇO

Entrelaçar os braços,
misturar com as tuas
as minhas linhas da mão,
ouvir a música ardente
dos teus anseios,
encostar nossas almas,
nossos olhos, costurar
nossas esperanças,
com o mesmo fio
dividir os sonhos.

in Rios da Alegria, ed. Moderna

Com este poema inauguro o dia, que será de espera, enquanto escrevo, minha sobrinha Maria José voa de Madrid para Saquarema num chão de nuvens, com este poema abraço todos os amigos. Hoje a neblina cobre o mar, apaga os contornos. Farei pão e um creme de abóbora com gorgonzola para a sua chegada. Leio vários livros ao mesmo tempo, com temas tão diferentes e como um beija-flor vou de um para outro. Juan me convida: _"Vamos almoçar no Marisco?" um restaurante bem popular na Vila de Saquarema, e eu agradeço, só a caminhada até a vila já é uma maravilha. E assim la nave va, a vida, feita de tantas esperas, chegadas, partidas, abraços.  

2 comentários:

  1. Obrigada pelos abraços que sempre envia Roseana, abraços e poesias.

    Grande Beijo!

    ResponderExcluir