terça-feira, 4 de janeiro de 2011

KIRA

Minha neta Kira, filha da Maya, filha do Juan, meu marido, vive em Barcelona. Nos falamos pelo skype. Ela tem 5 anos e é muito engraçada. Kira virá em agosto e perguntamos o que queria de presente. Ela ficou pensando, pensando e disse: _ Vocês vão ter que adivinhar. E nós recrutamos: _ Mas como vamos adivinhar, Kira? E ela: _ Adivinhando!!!
Kira virou livro e ela adora. Outro dia levou o livro para a escola e falou que foi sua avó quem escreveu. Fez tanto sucesso que na volta ela perguntou para a mãe: _ Foi a vovó mesmo quem fez o livro Kira? e a Maya respondeu: _ Claro que foi a vovó. E a Kira: _ A vovó é tão boa, não é mamãe?
Perguntamos para Kira quantas linguas ela fala. Ela diz: _Falo espanhol, inglês, catalão e um pouquinho de português. Perguntamos: _ E o que você fala de português? Kira responde: _ Vovô e vovó!

Abro o livro Veneno Antimonotonia da ed. Objetiva e leio:

Minha ideologia é o nascer de cada dia
E minha religião é a luz na escuridão

Gilberto Gil

2 comentários:

  1. Ah! é tão bom a gente virar livro, poema etc. Dá uma alegria só. Eu imagino a Kira depois de alguns anos lendo esse livro para os filhos, netos etc.
    Eu acho que ela vai falar assim: A minha avó é uma tremenda escritora,sabe do que a gente precisa,do que nos faz felizes...por isso ela é tão boa.
    Eu acho que o poeta acaba descobrindo nos seus leitores as suas tendências,as suas vontades escondidas e vai por aí. É por essa razão que os livros nos encontram.
    Muito doce o que você escreveu.
    Gostei.

    ResponderExcluir