segunda-feira, 7 de maio de 2012

LEITORES

O maior prêmio para um poeta, um escritor, é ser lido. Maior do que qualquer prêmio é um leitor, muito tempo depois, ainda carregar o poema em sua pele.
Hoje , antes de sair para o aeroporto, recebo uma dádiva: um antropólogo que foi ao meu encontro em Bogotá, por ter ouvido a minha entrevista na Rádio Caracol, me escreveu pedindo que eu enviasse um poema do livro Desertos que fiz com o Roger Mello. Eu havia lido o poema e ele o guardou no coração:

Dezessete


Sorri a mulher por trás do véu?

Sussura palavras ou flores

desconhecidas?

O rosto que se esconde, lua oculta,

será indecifrável como a escrita

do vento nas dunas?



Na bolsa a mulher carrega

um lenço de seda azul,

um bilhete escrito em preciosa

caligrafia,

três moedas antigas

como três sonhos.





2 comentários:

  1. Oi Roseana, meu nome é Ariane tenho 10 anos e vou declamar a sua poesia Procura-se!

    ResponderExcluir